Candlebox

Candlebox foi uma banda de grunge/post-grunge de Seattle, formada em 1991 um pouco depois do Nirvana explodir com o Nevermind.

Com Kevin Martin nos como vocalista e Peter Klett na guitarra, a banda formava uma sonoridade de rock suave ao mesmo tempo melancólica e obscura.

Em 1992 os olhos do mundo estavam voltados para Seattle, grandes gravadoras saiam a caça para encontrar bandas talentosas para investir. Candlebox foi encontrada entre uma vastidão de bandas que seguiam o movimento da época, e então pode diz que a banda possuiu começo muito bom e ao mesmo tempo muito ruim.

Muito bom, por ela ter ganhado uma oportunidade de ouro assinando com a major Meverick Records, gravadora pertencente à Madonna para seu primeiro álbum.

E muito ruim, pela controvérsia, como uma banda que se diz grunge poderia se vender tão fácil em inicio de carreira? E ainda mais uma gravadora controlada pela diva pop do mainstream, a oportunista Madonna.

Fato que chegou até ser mencionado com um tom de ironia em uma entrevista um tanto desleixada oferecida por Kurt Cobain com alguns cigarros da boca em meados de 1993.

Querendo ou não, o álbum saiu, no final julho de 1993, o autointitulado álbum “Candlebox” já estava nas prateleiras norte americanas. E em pouco tempo chegando em sétimo lugar nas paradas americanas arremetendo 4 discos de platina.

Um sucesso coerente, o álbum apresentava um hibrido de sonoridades, pendendo entre o hard rock e o soft rock. Arranjos de uma a duas guitarras no maximo, com solos apareciam praticamente de surpresa, um vocal suave e ao mesmo tempo raivoso que lembrava uma fusão entre Andrew Wood (falecido ex-vocalista do Mother Love Bone) com Shannon Hoon (ex-vocalista do Blind Melon também falecido) criando canções que seguiam a temática gélida de Seattle, com temas variados, tais como solidão, pobreza e ressentimentos.

A banda dois anos depois lançou seu segundo album “Lucy”, fez sucesso, mas nada comparado ao seu primeiro. Situação que se repetiu com o seu terceiro álbum “Happy Pills” de 1998.

O movimento acabou e a banda que havia feito turnês intermináveis por 10 anos mundo a fora, mas principalmente em sua terra natal jogou a toalha e entrou em hiato nos anos 2000.

Como o que é bom vai e volta a banda retornou a ativa em 2008  com um guitarrista a mais e quase todos os membros de sua formação original, menos o baixista Adam Kury.

A banda lançou “Into the Sun” que surpreendentemente vendeu mais que Happy Pills, e no momento está em turnê norte americana.

Candlebox – Far Behind (1994)

Candlebox – Far Behind – Letterman (1993)

Álbuns Recomendados:

Candlebox (1993)

Into the Sun (2008)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s