Silverchair

O Silverchair foi uma banda australiana de Newcastle, formada em 1992 por Daniel Johns (vocalista e guitarrista), Chris Joannou (baixista) e Ben Gillies (baterista).

Todos incrivelmente jovens com média de idade entre 12 e 13 e muito talentosos, influenciados pelo crescente som de Seattle que já havia ganhando um espaço na mídia mundial.

A banda que era como uma pequena diversão para trio começou bem, e com dois anos de formação em 1994 a banda ganhou um grande concurso de talentos e um contrato de primeira com uma gravadora major, a Epic.

Com a gravadora a banda lançou seu primeiro álbum intitulado “Frogstomp” em 1995, com uma sonoridade crua de guitarras distorcidas pesadas e energeticas o álbum surpreendeu a critica e conquistou fans carentes que ainda não haviam se esquecido do Nevermind “Era como se Kurt Cobain estivesse encarnado”, Daniel tinha uma voz inacreditável, que lembrava a voz de Kurt, além de um talento nato para compor canções, que no álbum rolavam sobre diversos temas, de guerra civil até valores emocionais. Tema que liderou o primeiro hit da carreira do Silverchair,“Tomorrow” que entrou no topo das paradas de rock da época, e custou a sair.

Com o sucesso, os adolescentes do Silverchair saíram mundo a fora, ainda na companhia dos pais, para uma longa agenda de turnês, como o show não deve parar, a banda tinha que lançar mais um álbum enquanto a cena musical ainda sub existia.

Todo segundo álbum é a provação de uma banda, se uma banda faz um grande sucesso primeiro, repetir o sucesso no segundo é um desafio enorme.

Freak Show saiu em 1997, mas não agradou a critica de mesma forma que Flogstomp, e como se já não fosse o suficiente, a crise da banda ficou evidente quando os fans começaram a notar algo de estranho em Daniel. Ele parecia debilitado, estava muito mais magro e apático, sintomas de anorexia. A situação era grave, chegou a rolar um boato na época de que Daniel chegou a se alimentar se apenas uma maça verde por um dia inteiro. Os anos de apresentações constantes da banda acabaram por desencadear um trauma de palco intenso em Daniel.

A banda deu um tempo, Daniel atingiu a maioridade australiana e saiu da casa dos pais, o futuro da banda era incerto, porém em 1999 com o trauma superado a banda retornou as atividades com o lançamento do seu terceiro álbum Neon Ballroom. Com uma sonoridade diferente, Silverchair continuava agressivo, mas agora um pouco mais melódico ao mesmo tempo, um som menos cru, e um tanto mais pop e alternativo.

O álbum foi um sucesso, subiu em primeiro lugar nas paradas australianas e ocupou um espaço na lista da Billboard, ironicamente a faixa que virou o maior hit foi Ana’s Song (Open Fire), uma homenagem a sua companheira de anos atrás, a anorexia.

Depois de Neon Ballroom, a banda lançou mais dois álbuns: Diorama (2002) e Young Modern (2007).

Infelizmente após aproximadamente quase 20 anos de existência, o Silverchair entrou em um hiato indefinido, e ninguém sabe ao certo quando eles poderão retornar.

Silverchair – Tomorrow (1995)

Silverchair – Ana’s Song (Open Fire) (1999)

Álbuns Recomendados:

Frogstomp (1995)


Neon Ballroom (1999)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s