Flop

É o começo dos anos, 90 e varias bandas “frias”, porém fantásticas começavam a mostrar para a música global do que eram realmente capazes.  A atmosfera gélida de Seattle conquistou o mundo.

E em meio a essa época caótica, porém monumental para o rock, uma banda nasce em meio às nuvens pesadas de Seattle. O nome dela é….Flop.

Mas como assim?! FLOP? Que tosco! Flop não é aquela gíria hipster que estão usando por ai?! Isso é nome de banda que vem de Seattle? E ainda por cima tocando rock alternativo!

Acontece que a banda, era o exatamente o OPOSTO de todas as bandas grunges melancólicas de Seattle.

Com um power pop psicodélico (não confunda com o que as bandas atuais que se intitulam power pop, aquilo é tudo menos power pop) e energético misturado com inspirações de bandas punk britânicas dos anos 70, e com musicas de temas que vão de águas-vivas até apresentadoras de telejornais discordantes, este era o cativante Flop!

A banda era como um tipo de droga, daquelas que você quer usar várias e várias vezes,  uma droga..para poucos, pois a banda sofreu com a baixa notoriedade com, consequentemente encerrado suas atividades na metade dos anos 90.

Flop – Whenever You’re Ready (1993)

Esses dias eu encontrei está pérola perdida dos anos 90.

Datada de 1993, o álbum é uma viagem sem volta.

Repleto de pequenas canções que chegam a ter no maximo quatro minutos, o álbuns é literalmente uma caixa de surpresas , você não consegue prever o que realmente vai acontecer de uma faixa para outra! Resumo a minha sensação de uma maneira simples: é como estar em montanha russa no escuro!

Arranjos de guitarras psicodélicos, até trilhas sonoras de parques de diversões dos anos 60 te pegam de surpresa a todo instante. Gaita, violinos, teclado, chocalhos, apitos, guitarras distorcidas..tudo em perfeita e bizarra harmonia! Claro, tudo com a voz fina e atômica do vocalista Rusty Willoughby.

Sem dúvidas, um dos álbuns mais energéticos que já  eu escutei, e  que facilmente poderia ser vendido no lugar de muitos despertadores por ai.

Melhores Faixas: Julie Francavilla, A. Wylie, The Great Valediction, Regrets, Pluto, Woolworth.

Nota: 4,5/5

1. A. Wylie 2:30

2. Regrets 3:14

3. Julie Francavilla 2:04

4. Pluto 3:03

5. En Route to the Unified Field Theory 4:20

6. A Fixed Point 2:58

7. A Popular Donkey 0:22

8. The Great Valediction 1:51

9. Mendel’s White Trash Laboratory 2:31

10. Z2 + C 1:50

11. Sorry Henry Maartens 2:41

12. Night of the Hunter 1:45

13. Port Angels 2:34

14. Eat 2:04

15. Woolworth 2:38

16. Parts I & II 4:07

17. Need Retrograde Orbit 3:55

Parece com: Buzzcocks (com cafeína), Redd Kross, Love Baterry, Truly, The Muffs, The Replacements, White Flags e The Young Fresh Fellows.

Flop – The Great Valedction (1994)

Flop – Regrets (1993)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s