Pixies (The Purple Tape) (Review)

Glorioso foi aquele fim de semana passado, não há nada melhor no mundo, em minha opinião de musico, do que encontrar algo novo de sua banda preferida. Mesmo que isso seja difícil de encontrar.

O resultado da minha busca em uma das feiras mais conhecidas de São Paulo:

The Pixies – Pixies (The Purple Tape) (1986), Sugar – Cooper Blue (1992) e Teenage Fanclub – Gran Prix (1995)

Já ofereci um breve resumo sobre a banda e a sua história em minhas postagens, porém não vejo problema em dar uma recapitulada..

Banda formada em Boston no estado de Massachusetts na metade dos anos 80. Independentes e alternativos a banda foi uma das pioneiras do rock indie rock no final dos anos 80, lideradas por Black Francis (vocalista e guitarristas), e a baixista Kim Deal, influenciaram diversos futuras grandes bandas dos anos 90, como: Nirvana e Placebo.

Caracterizados por um rock ingênuo, porém inteligente, guitarras distorcidas, e musicas dos temas que partiam de religião até terremotos existiu a margem do grande sucesso em seus primeiros anos. Algo que colaborou par ao primeiro fim da banda em 1993.

Atualmente eles voltaram, e o público, após tanto tempo, percebeu o quanto a banda merecia ser apreciada.

The Pixies – Pixies (The Purple Tape)

The Purple Tape”, na verdade é uma compilação da banda, se trata da primeira fita demo já gravada pelos Pixies, em março de 1986. Relançada em 2002, em Cd, o álbum de apenas 16 minutos apresenta nove canções dentre elas algumas bem conhecidas dos fãs, como: Here comes Your Man, Down the Well e Subbacultcha.

A qualidade do som me impressionou, quando eu ouvi pela primeira vez, pensei que se tratava de uma regravação da banda, a qualidade era muito boa.

Em geral, o álbum é muito bom, porém obviamente curto demais, mesmo se tratando de um demo. Deixando aquele gosto amargo na boca de quero mais. Mesmo que possa fugir do conceito de demo Pack, em minha opinião, acredito que SpinART Records (gravadora) deveria ter oferecido um pouco mais aos fãs que gastaram seu dinheiro suado por tão pouco.

Vamos lá SpinArt, já sabemos que você queria ganhar dinheiro com uma banda que já estava morta no momento, então nos oferecesse mais! Sei lá, talvez colocar algumas outras faixas ao vivo, (estilo b-sides mesmo), ou faixas cortadas de outros álbuns que seja para encher lingüiça mesmo, por mais insignificantes que eles possam ser. Quem vende, deveria sempre se lembrar das duas palavras mágicas para agradar o cliente: Custo Beneficio.. SpinArt! Custo Beneficio!

 Nota: 3,5/5,0

Pixies – Here Comes Your Man (1990)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s